quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas um sonho que se sonha junto, é a realidade.

Eu estava com minha familia, sorrindo, cantando, quando tirei a carteira do bolso, para pegar algo que nem me lembro ao certo. Estávamos todos muito eufóricos, e não sei se devido a isso, ou à uma peça de meu inconsistente eu deixei a carteira cair, você pegou e entregou em minhas mãos dizendo:
- Moça, eu acho que é sua.
E te reconheci na hora, talvez de meus sonhos, não sei bem ao certo.
Junto com a carteira, você entregou uma foto sua, assinado atrás: Te amo, princesa. Do seu príncipe.
Eu senti que precisava te abraçar, e fazer como nos combinávamos. Mas eu não pude.
E assim foi o nosso primeiro encontro. Não foi nada parecido com o que imaginei. Você não tapou meus olhos e perguntou se eu queria conhecer o homem dos meus sonhos, eu não segurei em sua mão, e pedi para levar ao lugar mais lindo de todos, e não demos aquele primeiro beijo tão esperado.
Mas foi tudo tão lindo, o seu perfume, o toque de leve nas mãos, a sua voz, o seu rosto.
E foi ai que tudo ficou preto, e aos poucos ia clareando, até eu me notar, deitada no quarto.
Tudo um sonho, de novo.
E por favor, aparece assim mais vezes.



- Baseado em um sonho sonhado acordado, com o homem dos meu sonhos.

4 comentários:

Carolyne Mota disse...

Obrigada pelo selo, fico feliz por ter se lembrado de mim!
Beijos!

Luiza disse...

"Sonho parece verdade quando a gente acorda e esquece de levantar"

Albertt disse...

naada existe antes do sonhos! soonhe o maximo que puuder.
faaz beem!

Tiêgo disse...

Pois continue sonhando. Nada melhor do que você sonhar e, de repente, os sonhos se ralizarem. Faz parte da vida!

Um beijo :*