quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Nascemos todos com a vontade de amar, ser amado é secundário.

 - Você gosta dele?
Ela abaixara a cabeça, talvez com vergonha, mas hesitou em responder a pergunta.
 - Você gosta um pouquinho desse moço?
 - ... Acho que eu gosto mais do que um pouquinho.
 - E porque você gosta dele?
 - Ah, eu não sei. Nos outros sempre tinha um porque. Ora era o jeito que eles me olhavam ou falavam comigo. Mas dessa vez... é só. É até mais pelo jeito que ele me faz olhar pra ele, meio sem graça, com vergonha.
 - Acho que o amor é assim mesmo. Meio louco e sem sentido.

Um comentário:

Carol disse...

É, o amor não tem sentido algum, simplesmente do nada acabamos gostando de alguém não importando as circuntâncias nem o porquê.
Amei o texto!

Beijos, flor :*