domingo, 26 de dezembro de 2010

Em memória do amor.

Sentou na cama, depois de ler a carta, a última lembrança que ele deixou pra ela. Dentro do envelope, tinha duas passagens para Paris, o lugar que ela sempre sonhou conhecer com ele, uma foto de quando eles se conheceram, a primeira foto deles, e uma carta. Ela não entendeu o porque de duas passagens, já que a unica pessoa que ela pensava em levar, era ele, e ele havia ido, para sempre.  Então ela leu a carta:

Michelle,
Não sei se fiz a coisa certa, em deixar você, em deixar tudo isso. Mas eu senti que nem você podia me dar forças pra continuar. Faz uma semana que não tenho me sentido muito bem. Se você se lembra, faz uma semana que teu pai proibiu o nosso namoro. Ele está certo, você tem achar alguém que te dê futuro. Porque maneiras você deveria acabar com um cara como eu?! Fiz você perder um ano da tua vida, pra nada. Quero que pegue essas passagens e vá curtir a tão romântica Paris, com quem você puder. Realize o nosso sonho, com os nossos planos e outro cara. Pensar nisso me deixa mal. Pensar que vão ter outros caras na tua vida, e eu nunca vou poder fazer nada pra impedir, me deixa louco. Então eu tomei uma decisão. Mas antes, eu quero que saibas que não fiz isso por você, nem por ninguém. Eu fiz por mim, para acabar com o meu tormento. Eu fiz isso sem atrapalhar ninguém, fiz na tranqüilidade e paz do meu quarto. Eu decidi isso em plena consciência e pelo livre arbítrio. Milhares de pessoas morrem por dia, AIDS na África, assalto no meu quintal, doença desconhecida no Himalaia, e porque alguém precisaria se preocupar comigo? Lamento, mas concordo com Camus que o suicídio é a única questão filosófica verdadeira. Hoje mesmo, eu pegarei a arma que meu pai esconde na sua gaveta, e estourarei meu cérebro. Não quero que se culpe por isso, nem por nenhuma outra consequência que ocorrer. Já disse que fiz isso por mim. Olhe pra esta foto. Lembra? E você dizia que ninguém poderia separar um amor verdadeiro. Acho que fugimos à regra. Essa foi a primeira vez que meus olhos se apaixonaram por um sorriso, foi a primeira vez que bateu um sentimento bobo em mim. Mas eu não quero falar disso. Isso me deixa feliz. Você é a única que está sabendo disso. Acho que você é a unica que eu ainda tenho, que eu sinto que posso confiar. Desculpe, por tudo isso. Mas eu precisava contar. Passar uma semana sem algo que se tornou essencial pra mim, doeu. Doeu na alma. Arrancaram de mim, não um pedaço do coração, mas ele todo. Arrancaram minha alma. Eu não posso continuar vivendo assim. Eu não quero viver assim. Eu espero que você possa ser feliz, assim como era quando estava do meu lado. Você tem tudo na vida, não desperdice isso. Nunca se esqueça, o amor que eu te entreguei, é verdadeiro, e hoje cairá pelo carpete do meu quarto, mas sempre vai continuar com você. Eu sou seu anjo da guarda. Estarei sempre com você. Nada poderá me impedir dessa vez. Sempre que se sentir sozinha, olhe para o céu, e a estrela que mais brilhar, serei eu. Estarei sempre olhando por você. Sempre que sentir saudade, olhe pra nossa foto. Nela, contém tudo que eu sempre precisei lhe falar. Acho que era isso, tudo que você precisa saber. Até a noite, nos teus sonhos. Durma bem, meu amor. 


Ela não podia fazer nada. Ela sentia sua alma sendo corroída por dentro. Ela teve vontade de rasgar tudo aquilo, rasgar as feridas em seu peito, arrancar de dentro de si, o sentimento que não podia controlar. Ela se sentou na cama e chorou livremente, como se esta fosse a solução. Ela não tinha solução. Ela havia perdido agora, seu sentido de vida, e ele nunca saberia.


Pauta pra Projeto Créativeté.

4 comentários:

Psycho disse...

eu fui o primeiro a ler essa *--* \o

AH.orta disse...

Tá lindo como eu disse \o/

larissa + disse...

Nossa que lindo Fuve! Quase chorei aqui menina. Já até ganhou, parabéns!

Projeto Créativité disse...

Que triste DDD:
*---*