quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Que o que vem é Perfeição! ...

Está tudo uma confusão. Eu não sei mais o que pensar, falar ou escrever. O coração bate sem ritmo, as músicas que tocam fazem sentido e me lembram de você, as palavras ditas por você, me fazem tremer os lábios, e as vezes até formam um sorriso. Suas brincadeiras parecem tão sinceras. Eu tenho medo de cair nesse jogo, e tudo for só mentira. As cicatrizes que adquiri com tempo, não deixam marcas, mas deixaram o medo, a angustia. Quando eu gosto, eu não fico só pela metade. Não sou feita de meios, meios amores, nem meias palavras. E o pior. Quando eu gosto eu exagero mesmo. Chego a ficar dependente de algo. E você, as vezes, é meu alicerce. Você parece entender bem da minha dependência. Você, que chegou assim do nada e nada sabe sobre mim. Não chega perto do que eu imaginava pro meu futuro. Mas é nos teus braços que eu me sinto bem. É o teu sorriso que me dá segurança. E é tão estranho. Mas tudo acontece tão rápido, e eu não sei se é bom ou ruim. Ah, você me deixa sem nexo, sem chão. Não faça isso comigo, moço. Se for pra me deixar sem chão, ao menos me segure depois. Eu sei que você é capaz de tanta coisa. Em poucos dias se provou capaz de ganhar meu coração. Mas as as vezes eu duvido um pouco disso. Mas as cicatrizes que você me deixa, deixam marcas, e as vezes até doem. Eu prefiro assim. Elas me lembram de você. Ah, está tudo uma confusão. Os dias duram muito, e é difícil manter o sorriso no rosto, (não quando estou perto de você). Não faça isso moço. Não me deixe assim. As vezes, eu até penso em esfregar na tua cara o que você faz. Mas vem lembranças das cicatrizes antigas, e medo vem a tona. Imagens ruins se passam em minha mente. É fácil pra mudar de ideia. Mas parece que com você, nunca vai ser como foi das outras vezes, porque você... ah, você é diferente. Você tira meu ar, moço. Eu não posso ficar assim mais. Diz pra mim, se é verdade, tudo que o teu olhar transparece. Porque meu olhar não quer ficar perdido sem o teu. Você parece, não um encaixe, mas um espelho. E isso que é bom, isso é diferente. Eu estou ficando louca com tudo isso. Me ajude, moço. Me deixe um sinal, me corresponda. Diz pra mim, isso pode ser chamado de amor, aquele que cita nas músicas que você me fala. Você, as vezes, é meu anjo. Porque você me salva, dessa total nostalgia. Mas quando eu espero algo, uma ação qualquer vinda de você, você parece se esquecer que é meu alicerce. Porém, sou eu que me esqueço, que você não sabe de nada que se passa aqui dentro. Eu guardo pra mim. Até hoje, eu guardei só pra mim. Mas hoje eu extrapolei nos meus limites. Porque hoje eu não importo mais. Não sei bem ao certo o que eu escrevi, ou quis dizer com isso. Sei que... Ah, está tudo uma confusão. É isso! Você me deixa confusa, moço.





Isso é só um texto, bem confuso. Tudo está jogado ai, são só palavras. Eu precisava colocar tudo que eu sinto em algum lugar. Por favor, não vejam isso como indireta para alguém. O moço desse texto, pode não ser ninguém. Peço as amigas que não suspeitem de ninguém e não perguntem. Podem comentar qualquer coisa no texto. É, por favor, comentem. Comentários são forças que vocês me dão. E eu preciso de forças agora. 

2 comentários:

suzimara # disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
suzimara # disse...

oi ... noossa que liindo seu texto!
voocê escreve muiito bem :)
beijoos :*
www.suzimaraleinat.blogspot.com